O Brasil tem a incrível mania de atrapalhar seu treinador em todo ano que temos Copa. Você pode pensar que estou falando de contusões, e elas acontecem e atrapalham, mas no caso não é disso que quero falar hoje.

Quero dizer que contra todas as projeções possíveis, todos os comentários feitos na televisão (será nosso primeiro furo?) quem está pedindo vaga por ser o melhor brasileiro em atividade no Brasil hoje, é o menino da charmosa ilha das bicicletas. Menor salário do meio campo do seu time, e maior evolução em menos de seis meses já vista nos últimos anos, Lucas Paquetá tem sido o jogador mais importante do Flamengo esse ano mesmo rivalizando com Diego, Everton Ribeiro e o senhor regularidade, Everton.

Além de toda classe no trato com a bola, ele tem sido capaz de flutuar pelas quatro posições do meio campo do Flamengo e no ano passado ainda fez o falso nove em algumas partidas. Além dessa versatilidade tão desejada por técnicos em Copas do Mundo ele demonstra uma grande maturidade, e a típica raça peculiar aos jogadores que são oriundos da base do Flamengo, afinal “Craque o Flamengo faz em casa” e nunca qualquer craque, pois se veio da base, tem que dar o sangue em campo pra ser respeitado nesse clube tão amado.

Pro leitor mais desavisado, pode parecer estranho, mas não se espante:
A ilha das bicicletas pode invadir a Copa da Rússia.