Quinta-feira passada vivenciei novamente uma das melhores experiências possíveis para um amante de futebol: Ir ao estádio! Na verdade muito mais do que ir à algum estádio, fui ao Maracanã.

Aviso antecipadamente que esse texto não falará sobre a bela atuação do Renê, ou sobre as duas personalidades do nosso camisa 10, que só não entrou com bola e tudo porque teve humildade, mas saiu dizendo que a “seleção também perde” por não convocá-lo para a Copa da Rússia. Não falarei aqui sobre a pintura feita pelo menino Paquetá e também não vou mencionar que ele deveria ouvir as palavras ditas pelo nosso Galinho de Quintino e fazer menos firulas. Não quero falar também sobre sequência de defesas feita pelo Diego Alves relembrando seus melhores momentos na Europa.

Quero falar sobre o clima no caminho para o estádio. O manto sagrado por todos os lados, o entorno do maracanã cheio desde às 13h00, a volta das famílias aos estádios, a incontável quantidade de crianças de todas as idades, uniformizadas e risonhas, vendo o jogo e o contraste com um senhores beirando o centenário de vida com seu radinho de pilha, sim, acreditem, os rádios de pilha ainda existem, assistindo e ouvindo seu narrador preferido.

Como é bom ver a discussão saudável no estádio de futebol, aquela discordância sobre quem deve ser substituído, quem está jogando mal. Como é revigorante aquela amizade de arquibancada, que nasce ali, com pessoas que talvez nunca veremos mais, todavia nos concedem um abraço caloroso na hora do gol, nos premiam com sua opinião, sem armaduras, sem aquele sentimento ruim que permeia a quase todas as discussões atualmente no nosso país, e que se despedem dizendo até o próximo jogo, mesmo sem ter certeza deste novo encontro.

Como me enche de esperança estar em um lugar fechado com mais de 55 mil pessoas e não ver nenhum tipo de problema, nenhuma briga, nem antes, nem durante, nem depois do jogo. Posso parecer ingênuo, mas acredito que deveria ser sempre assim.

E no caso do futebol, se vier acompanhado de músicas desde antes do jogo até uma hora após o jogo no caminho pra casa, que só fazem incentivar seu time e demonstrar o orgulho que se tem por vestir aquele manto, melhor.

Já tivemos isso tudo, quase todo o domingo, na mesma praça, no mesmo caminho, no mesmo estádio, e por anos isso nos foi tirado por razões escusas ao futebol. Por isso exclamo em letras garrafais:
COMO É BOM TER O MARACANÃ DE VOLTA!!!!!!!