Te Amo, Te Odeio
Te Amo, Te Odeio
Te Amo, Te Odeio

Esse é o Botafogo de 2018: te amamos e te odiamos, tudo na mesma frase, na mesma sentença.

Qualquer torcedor alvinegro em 2018 abandonou o time em algum momento e em outros sofreu mais que um Kichute no final de ano.

O time não é dos sonhos – na verdade é dos pesadelos -, os treinadores foram pavorosos – Tigrão e Paquetá – ou medianos – Valentim e Zé Ricardo. A diretoria? Um verdadeiro tutorial do que não se deve fazer, na gestão de um time de futebol.

Título Carioca e eliminação pro Aparecidense na Copa do Brasil – essa pode ser a síntese do Botafogo nesse 2018.

Os times medianos precisam correr o dobro de qualquer outro, compensar na entrega e na disposição! O Botafogo de 2018 quando fez isso, arrancou vitórias e bons resultados, quando achou que era uma mistura de Real Madrid com Barcelona não deu…

Cada um de nós alvinegros, não precisamos de cardiologista esse ano, afinal não é fácil ter um infarto a cada dois/três dias. Teve jogos que nem no rádio era razoável, imagina no estádio?

E fomos assim: cobrando entrega e disposição, pedindo aos céus para cuidar do resto.

O ano tá perto do fim, a angústia do 3° rebaixamento passou e agora vamos abrir o litrão e torcer pra barca (Rio – Niterói mesmo) levar uma galera.