Dois bagulhos tão me estressando essa semana:

1° – Tô com obras em casa! Ou seja… Uma merda. É poeira, móveis fora do lugar & bagunça. E um sujeito mandando na tua casa… pelo menos o pedreiro aqui entende de obra… diferente do Anderson Barros, que pode até entender de obra, por que de Futebol???

2 ° – O sofrível e inexistente ataque do Botafogo!

A segunda obviamente me preocupa mais, a obra aqui no meu Chatô Suburbano, logo termina. Agora, o ataque do Botafogo, é tipo o mês de agosto… Acontece tudo! Menos um final feliz.

Sim!

O Ataque do Botafogo é um eterno purgatório, ora perto do Céu – Túlio, Loco Abreu, Dodô, Maurício, Amarildo -, em outras as portas do inferno – Tanque Ferreyra, Dill, Taílson, Zarate.

É uma predestinação ser alvinegro, sabemos. Mas na moral, tem época que tá foda!!!

Pra vocês terem uma noção, a última vez que o atacante (Kieza) do Botafogo – não vou dizer nosso, porque filho feio ninguém quer – fez um gol, ainda era Primavera, eu tinha 30 anos & ninguém sabia quem era Jennifer

…Piscininha nem pensar…

Falando em piscina, o ataque do Botafogo é uma verdadeira água de salsicha.

Papo Reto, um time precisa de 4 coisas: um goleiro que pegue as bolas difíceis, um zagueiro de chuteira preta e cabelo mal cortado, um meio campo que seja capaz de correr e pensar &

Um centroavante capaz de fazer gol…
Nem que seja de nariz, de joelho ou canela.

Não estamos pedindo gol bonito ou um centroavante 9 da seleção (até porque esse também não é muito chegado a fazer gol)…

É só um cara capaz de ser atrapalhado pela bola ou pelo campo, entendem?
Coisa simples!

O ano é duro, mas o nosso ataque? Moleza para todos os zagueiros.

Nem na pelada com trave de chinelo, é possível ficar tanto tempo sem fazer gol…

Se vira diretoria! Porque atacante que não faz gol é igual cerveja sem álcool – parece, mas não é!