O Vasco da Gama fez valer a história do clássico contra o Fluminense. Venceu. Embora tenha sido a melhor partida do time no campeonato, ainda falta muito para que o Gigante da Colina não faça sua torcida precisar de colírios para assistir 50% da partida.

O que dá uma segurança é que o Fluminense vinha de uma sequência de boas partidas, e não jogou mal contra o Vasco. Para muitos, foi o melhor time em campo. Mas melhor que jogar bem, é vencer; e isso foi mérito do Vasco, que soube aproveitar melhor as chances que teve. O bom do Gigante foi a marcação e a eficiência em controlar a partida.

O velho problema do Vasco que perdura mais de seis temporadas é a inabilidade dos jogadores de acertar um quadrilátero que é formado por duas traves verticais de 2,44 metros de altura e um travessão de 7,32 metros. Cara… é uma coisa de tamanho considerável. Eu não faço tanta questão que tire a bola do goleiro, mas os jogadores do Vasco parecem disputar quem acerta a placa de patrocínio de mais longe. Ribamar foi o melhor! Gol vazio com Rodolfo parecendo um cabeça de área, e aí, ao invés de chutar para a meta, relembrando, vazia, Ribamar decide tentar uma sequência de dribles, que, executados com imensa lentidão, impediu que ele batesse o prego do caixão.

Digo prego do caixão porque o Fluminense assustou. Foram bolas na trave, grandes defesas de Fernando Miguel, zagueiros voltando a toda pra recomposição… mas deu Vasco, que mais de uma vez ofereceu contra-ataques verdadeiramente perigosos. Se Maxi López estivesse apto a jogar os 90 minutos, a impressão que deu é que o Vasco não ficaria na necessidade do pênalty para conseguir a vitória.

O técnico Fernando Diniz veio com papo de retranca vascaína, e sim, dava para ver que era a proposta do Vasco. Mas isso não minimiza o revés tricolor nem desqualifica a parte tática do Vasco. Mas isso incomodou o atacante Luciano, que demonstrou estresse mais de uma vez em campo, incluindo na entrevista.

Nesse papo de “foi ataque contra defesa”, o que importa é que o freguês continua fiel, e pagando direitinho.

Parabéns ao Fluminense, que jogou bem. Parabéns aos vascaínos, que se garantiram e vão chegar mais felizes no trabalho segunda-feira. O melhor do clássico sempre são os três pontinhos e zuar o amigo nos intervalos do batente.