E seguimos sem grandes novidades na final do carioca. Jogo ruim, duas equipes que pouco ofereceram perigo uma para a outra, e no final temos Vasco campeão.

Tá bom. É só a Guanabara. Mas pergunta aí para os seus amigos se eles não queriam o time pra qual torcem disputando e vencendo a final? É claro que queriam. E amanhã recomeçam as frases feitas dessa torcida metida a moderninha que o carioca não vale nada soltas entre dentes que rangem.

Apesar de estar feliz pela vitória do Vasco, pouco se tem para falar do jogo. Quando um goleiro, no caso o Fernando Miguel, é o melhor da partida, temos das duas uma: ou o jogo foi muito bom, ou foi muito ruim. Sem meio termo. E foi claramente a segunda opção.

O que se destacou mais nessa final da Taça Guanabara foi a capacidade esdrúxula dos dirigentes de futebol das duas equipes de resolver pendengas administrativas. A briga judicial prejudicou os torcedores que já haviam comprado o ingresso, e a pouca educação das torcidas criou cenários de caos ao redor do estádio. Triste.

Para mim, visível a intenção dos dirigentes do Fluminense de criar algum distúrbio que pudesse afetar a equipe do Vasco, e mais claro ainda a inabilidade dos dirigentes do Vasco de resolver a questão, preferindo uma desnecessária queda de braço, disfarçada de proteção dos interesses do clube, para ver quem tem a mão maior que a do outro.

Perde o torcedor, perde o futebol, perde o clássico. Mas não perde a freguesia. O resultado de 1×0 Vasco foi justo. Apesar de menos posse de bola, o Vasco foi mais incisivo na busca da vitória, enquanto o Fluminense ainda carece de umas oito peças de qualidade para realmente fazer essa estratégia de Tiki-taka. A proposta é boa, mas bastou meio quilo a mais de pressão na defesa para forçar os erros do Fluminense, inclusive o lance que causou a falta, seguida do gol.

Fica aqui então as observações. É só começo de temporada. Flamengo não chegou na final, mas ainda é visivelmente a equipe carioca que melhor apresentou um futebol. Vasco mostra que continuidade de trabalho tem sim muito peso, pois joga do mesmo jeito que terminou o ano passado, e está saindo leite dessa pedra. Fluminense jogou com muitos jogadores que devem perder espaço na equipe no segundo turno, então ainda não vimos o verdadeiro potencial da equipe. E só o Botafogo é que realmente está nas trevas. Espero que a charmosa equipe de General Severiano se ajeite, porque a coisa está crítica.

E antes de tentar copiar o estilo de futebol europeu, seria muito bom tentar copiar o estilo de administração do futebol europeu, porque para o esporte esse domingo foi terrível. Todo mundo errou, do judiciário aos torcedores, passando claramente pelos dirigentes das duas equipes que estrelaram o show de horrores.

No mais, eu só posso dizer que no atletismo, és um braço, no remo, és imortal…