Se dão um prêmio para o craque do jogo, poderiam se dar ao trabalho de avaliar a votação.

Se dão a votação como válida mesmo sabendo que foi por puro deboche, deveriam se dar ao direito de exercer a autonomia de uma grande emissora.

Se dão a tarefa à repórter de entregar o prêmio controverso ao jogador, deveriam se dar ao cuidado do impacto iminente na carreira e sentimentos da jornalista.

Se dão o prêmio de “Craque do Jogo” ao pior jogador do dia, não se dão ao respeito com o próprio prêmio.

Se dão a si mesmo o direito de errar e o dever de se desculpar, deveriam se dar a obrigação da moral.

Se dão apoio à vítima de tamanha humilhação, nós fazemos a nossa parte:
Força, Sidão!