O Botafogo de Futebol e Regatas, sempre inovador e vanguardista do velho esporte bretão inventou uma nova tática: Retranca com posse de bola.

Sim, meus boleiros, você leu certinho!

Vou explicar com calma como é o negócio: o time fica lá trás, bem lá trás… tocando bola como se não houvesse amanhã… e o pior, tem. Agora então com a possibilidade de bater o tiro de meta pra alguém na área, o zagueiros viraram secretários do goleiro.

Resumo da porra toda: o gol – objetivo do jogo – retângulo de extremidades brancas com uma rede de nylon na extremidade do campo fica mais distante que Marrakech.

Vou nem falar de lentidão, porque é de cair o cú da bunda e tu nunca mais achar. Papo Reto se colocar o Master do Botafogo com Gonçalves, Donizete Pantera, Mendonça e Iranildo contra o time principal, na hora pedem pra contratar “esses meninos” velozes e fagueiros.

Sem caozada, não adianta posse de bola com velocidade de clínica geriátrica sem chutar no tal retângulo com rede. Tá jogando pela “vantagem” do empate?

Caô, né?

Se esse negócio de “1000%” de posse de bola retrancada for modernidade traz de volta o Papai Joel – Retranqueiro Raiz – em 3 dias, com prancheta, frases feitas e inglês nível básico. Pelo menos com o Papai o time de vez em quando brota na área adversária… dá uns chutes, cruzamento, esses negócios que SÓ servem pra fazer gol… só isso.

Não adianta, caro Barroca, jogar “igual” o Barça do Guardiola com o nosso elenco de Cícero, Carli, Marcinho.

Sem sacanagem: motor Ferrari não roda em Gol Bolinha.

O time é Fraco? Olha, já tivemos até piores, mas esse futebol de canal 100 sem habilidade, tá foda!!!