Todo ano a mesma coisa, o Flamengo vai ao mercado e começam a surgir inúmeros nomes ligados ao clube, alguns chegam a ser surreais. A verdade é que nesta pausa para a Copa América o torcedor rubro-negro estava, e está, esperando que venha alguma coisa dentro da tal mochila prometida por Marcos Braz.

Sem contar com o treinador, Jorge Jesus, Rafinha é o único reforço anunciado até o momento. Um baita reforço, principalmente se pensarmos que o martírio de assistir Pará e Rodinei alternando o protagonismo no show de horrores da lateral direita está chegando ao fim.

Um nome pra zaga, um lateral esquerdo, um segundo volante e um centroavante. São essas as posições que o Flamengo está querendo se reforçar. Pode-se até questionar se é necessário tudo isso, já que o elenco já é um dos melhores do país e não tem tantas carências.

Pra zaga, um nome experiente para jogar ao lado de Rodrigo Caio é o foco da diretoria. Nomes como Gil, Zapata e Alexander Barboza foram ventilados, porém já acertaram seus destinos – Corinthians, Genoa e Independiente, respectivamente. Miranda, Jemerson, Wallace viraram novela. E outras especulações como; Paulo Díaz, Leandro Cabrera, Juan Jesus, Bruno Viana e Igor Lichnovsky pintaram com cara de que vem mais de fora do que de dentro. Com a possível chegada de algum desses nomes – ou outro que ainda vá surgir – o Flamengo deve se desfazer do zagueiro Rhodolfo e Matheus Dantas, que pode ser emprestado.

No caso da lateral esquerda o problema não é tão grave. Renê vem sendo titular e mesmo eleito o melhor lateral do Brasileiro no ano passado não consegue cair nas graças da torcida. No início do ano, Dodô e Jorge apareceram como possíveis ameaças a sua titularidade, mas nenhuma contratação foi feita. Filipe Luís é a bola da vez, mas a definição só virá após a Copa América. Guilherme Arana e Fábio Coentrão também foram cogitados no clube, que trabalha com um nome que chegue para ser indiscutível na posição ou apenas uma reposição para uma possível saída de Trauco.

“Tá mal, Arão!” foi o grito que viralizou e marcou o primeiro jogo-treino comandado pelo novo treinador português, que chegou a afirmar que não tem nenhum segundo volante no elenco. William Arão parece não gozar do mesmo prestígio que tinha com Abel onde era visto como equilíbrio do meio campo. Thiago Maia é o preferido da torcida e não mede esforços para fazer lobby e demonstrar sua vontade de atuar no clube de coração, porém, Gérson é o envolvido em negociações no momento para suprir a carência do setor que pode perder Ronaldo em empréstimo ao Bahia.

Centroavante é outro pedido de Jesus. Gabigol tem bons números e é artilheiro do clube no ano, porém a incerteza se o terá até o fim do ano e a falta de um homem com características de área no elenco fazem o Flamengo buscar mais opções no mercado. Pedro é a novela da vez em um negócio que nos faz ter um certo Dejá Vu do caso Arrascaeta. Outras opções como Gilberto, Abel Hernández, Diego Costa e Jonas tiveram seus nomes ligados ao clube.

A verdade é que muitos nomes são especulados, os torcedores se enchem de esperança e começam a montar seus times ideais e suas “SeleFlas”, mas o prazo vai acabando e até agora nada além do clima de otimismo e espera pelo próximo nome discutido nos programas de TV.