Com a paralisação, alguns clubes têm a oportunidade de fazer algo que não é muito comum em nossos clubes por aqui, pensar. Estamos acostumados a ver pata quadas, besteiras em cima de besteiras e arrependimentos, com a desculpa de um calendário apertado que não perdoa erros.

Mas como eu disse, na maioria os clubes apenas usam o tal calendário apertado como desculpa para a incompetência e o amadorismo que travestido de paixão e boa vontade, leva pessoas que jamais amaram ao clube de verdade a lugares de destaque e decisão, decisões essas que marcam o clube com cicatrizes que não se apagam.

Há pouco tempo vimos o Cruzeiro, um clube com uma história enorme, sucumbir a uma gestão que o levou do promissor início de 2019 ao triste rebaixamento no mesmo ano.

Onde está o erro? Em todos os lugares!

No investimento em um elenco que por sí, não combinam em trabalho uns com os outros, em uma diretoria que mesmo sabendo dos custos com salários, continuou fazendo contratos que não conseguiriam pagar, a soberba que dominou o vestiário e deu voz a jogadores problemáticos que deveriam ser domados, mas foram exaltados, não acreditar em gente trabalhadora e coerente, seguir errando em não alinhar perfis dos técnicos que vieram depois e mais inúmeros temas.

O que podemos aprender com isso? O que nos permitirmos!

Temos tempo e um momento que nos deu condições de pensar com calma em como e quem pode nos trazer a ventos melhores.

Que sejam eles conscientes e que os Deuses do futebol orientem os que ainda amam a esse esporte que tanto nos faz falta em momentos de reclusão forçada, merecemos um retorno triunfante e com muitos momentos alegres para nos ajudar a reconstruir esse (pós) calamidade.

Voltaremos aos gramados em breve e que esse tempinho pra pensar, tenha valido a pena!